9 de janeiro de 2016

Sociedade \\ O lugar da mulher

Este título diz muita coisa e eu também não venho aqui para vos mostrar o manual de como ser uma mulher digna de um prémio Nobel, pois esse prémio nem sequer deve existir para esta categoria (espero eu, porque né, seria um absurdo). No outro dia, estava eu a ler uma publicação no Ela entre Eles "Como mulher choca-me", e até era para ter comentado, mas não cheguei a fazê-lo. Hoje, ao relembrar-me do assunto, não houve revolta que não me tivesse feito acordar. Desde quando é que só a mulher é que tem de mexer o traseiro para que as coisas dentro de casa, nas relações e etc. funcionem? A sério, irrita-me bastante o facto de, após terem passado anos desde que a ideia correta de feminismo ter nascido, existirem pessoas que continuam com a ideia de que  as mulheres têm de cozinhar, lavar a loiça, lavar a roupa, cuidar dos filhos, dar prazer, não trabalhar, não ser livre. E depois existem aquelas mulheres que adotam o pensamento machista e dizem que os homens é que deveriam ser assim. Mas em que planeta é que vocês vivem? Tanto o homem como a mulher podem e devem usufruir dos mesmos direitos, das mesmas obrigações, de gostos e maneiras de estar diferentes. A ideia de feminismo é bastante simples: tanto as mulheres como os homens devem ter direitos iguais. IGUALDADE entendem? Tanto o homem como a mulher podem muito bem cozinhar, lavar, cuidar das crianças (caso os tenham). Se a mulher não gostar ou não souber cozinhar, que mal é que vem ao mundo por isso? Se ela não sabe, pode aprender, mas se ela não quiser aprender porque pura e simplesmente sente que essa tarefa não é para ela, não há motivos para existirem julgamentos. Aliás, cozinhar não se centra apenas em estar no fogão a queimar a barriga. Se ela prefere e sente-se mais apta para fazer bolos, é pasteleira. Ponto. Eu gosto de cozinhar porque gosto de comer. Eu tenho amigas que também gostam de comer, mas que não sabem cozinhar. E sabem que mais? Isso não nos coloca em patamares diferentes de mulheres. Continuamos as mesmas, fazemos as nossas coisinhas, se tivermos de ir deste mundo para um melhor, há de acontecer a todas. Aliás, existem coisas que elas gostam e sabem fazer que eu não gosto e não sei fazer. Somos inimigas por isso? Não. Se eu lhes perguntei um dia se elas sabem ou gostam de cozinhar, não foi porque achasse que as mulheres têm de o fazer. Se o perguntei foi porque gosto de trocar ideias culinárias para as colocar em prática. Não apreciam a cozinha, mas no entanto preferem limpar a casa pois deixa-as mais calmas? Boa, então diz-me que produtos usas que tudo ficará bem. Eu também tenho amigos que gostam de cozinhar mais do que algumas amigas e admiro-os bastante por isso porque não vêem qual é o crime de colocarem as mãos na massa e porque admitem que se não o fizerem, não haverá nenhuma mulher para fazer por eles. Simples.

Nunca me calhou ouvir da boca de um homem que eu por ser mulher tenho de saber cozinhar, lavar, etc.. Aliás, se em algum dia o escutei, a única resposta que lhes dei foi "Se eu arranjar um marido que não saiba cozinhar e que pense que eu vou ser empregada dele, ele há de morrer de fome" e sabem porquê? Porque é assim que alguns deles pensam. Que as mulheres têm de trabalhar 24/7 dentro de casa por eles e para eles, enquanto de pernas estendidas e de garrafa de cerveja na mão estão na descontra, no sofá e a dar ordens. Eu não estou a dizer que todos o fazem. Felizmente, eu tenho um pai que cozinha, arruma, mete a roupa a lavar e que gosta de fazê-lo. É menos do que eu e a minha mãe? Não, mas é digno de mais respeito do que aqueles que "escravizam" as mulheres que têm dentro de casa. Mesmo que tenha sido assim que foram ensinados um dia, os homens têm de interiorizar na mente que os tempos mudaram e que as coisas já não são como eram, pois muita coisa evoluiu. As mulheres também têm capacidades para gerirem uma empresa, para abrirem uma garrafa de vinho, para pura e simplesmente vegetarem em casa enquanto não lhes apetecer fazer nada. Nós também temos o direito de trabalhar na área que gostamos e receber um ordenado por isso, se esse for o caso. A única coisa que nos separa é o nosso género. Nada mais. 

Eu não acho que tratar das tarefas domésticas tenha de ser uma obrigação exclusiva da mulher. Aliás, este tipo de tarefas nem deveriam estar incluídas no patamar de "obrigação de X". Os homens também deveriam ser ensinados a tratar do boxer furado, da barriga vazia e da roupa por lavar. Trata-se sim de uma questão de responsabilidade. A culpa também vem da casa em que são criados, pois se a família não os ensinar o que é viver numa sociedade de direitos iguais, então hão de ir desta para melhor. De uma forma geral, todos nós pensamos em ter uma vida em conjunto, mas há quem não queira isso. Há quem prefira ter de viver sozinho, mas se a pessoa nem uma pizza souber colocar no forno, como é que conseguirá sobreviver dentro da própria casa? Estará essa pessoa disposta a abdicar do seu salário para pagar a uma empregada doméstica por pura e simplesmente não querer partir o crânio com um assunto que merece mais consideração? É porque se tiver de ser assim, essa pessoa ainda tem muito que aprender e colocar em prática antes de se aventurar pelo mundo a pensar que tem o rei na barriga.

E se eu escrevi este pequeno grande texto e se o mesmo transparecer que o assunto me revolta, então podem mesmo crer que é assim. Nunca compreenderei o porquê das mulheres serem consideradas coisas e estarem abaixo de cão em certos aspetos. E também nunca terá lógica a forma como alguns homens pensam em nós e tratam-nos. Pura e simplesmente nunca fará sentido.

2 comentários:

  1. Adorei o texto, fez me logo pensar na bendita frase "o lugar da mulher é onde ela quiser"! Realmente o mundo ainda têm muito por se pegue, ainda à muito a mudar e quando nós pensamos que estamos a mudar algo, algo novo aparece, é como colocar um lençol de elástico no colchão, nós prendemos de um lado e quando vamos a prender do outro, já um lado se soltou! Mas acho que se todos formos aprendendo um pouco a cada dia e abrirmos a nossa mente vamos descobrir que um mundo de igualdade é bem melhor!
    Nós mulheres vamos sendo criadas dessa forma, desde cedo as nossas mães nos começam a ensinar as fazer as coisinhas de casa, a limpar, a passar a ferro, a aprender a cozinhar, e os homens, bem, os homens, pouco fazem ou quase nada fazem, a unica obrigação enquanto jovens é estudar e portar-se bem, e se eu acho que isso está correcto? Bom está longe de ser correcto, mas o problema é que enquanto este ciclo vicioso não parar, o pensamento não vai parar, porque ele vem logo de berço, onde muitas crianças crescem a ver as mães a servir e os homens a "pôr o dinheiro em casa", esse é o real problema.
    Tem tanto para mudar, tanto para ainda ser feito e bom estas tuas palavras podem ter ajudado a mudar a mente de muitos e muitas, porque é assim que conquistamos todos os dias um pouco mais do mundo! Beijos e continua com os textos maravilhosos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "mas o problema é que enquanto este ciclo vicioso não parar, o pensamento não vai parar, porque ele vem logo de berço, onde muitas crianças crescem a ver as mães a servir e os homens a "pôr o dinheiro em casa", esse é o real problema." --- Esta frase resume toda a raiz aonde reside o problema, porque é mesmo isso que acontece. Enquanto as mentes não forem mudadas desde início, nada andará pra frente.
      Obrigada e beijinhos.

      Eliminar