23 de fevereiro de 2016

Aos que tenho de agradecer

Sei que não tenho o hábito de o fazer por defender que, quando o fazemos em demasia, existe sempre qualquer coisa de essencial que se esfuma nesta ação e que, por conseguinte, a forma como lidamos com tal passa a ser diferente. Mas hoje aqui estou eu para me contrariar. Durante muito tempo idealizei um grupo de amigos que gostaria de vir a ter quando entrasse para o secundário. Moía e remoía as ideias, ficava até frustrada com a impaciência daquele momento. Haviam até momentos em que detestava o meio em que estava inserida... Mas eis que a altura brotou de uma forma bela, genuína, simples! Digamos até que a realidade ultrapassou a magia da imaginação, provando que, por vezes, também ela sabe contribuir para o nosso sucesso. Eu amo os amigos que tenho e que fui fazendo de há três anos para cá. Arrependo-me de não me ter relacionado com certas pessoas mais cedo, mas o importante é que hoje nos damos. Se houve dias em que eu não queria ver ninguém no meu campo de visão, hoje anseio por um abraço, a modos de me recompor e enfrentar o dia. Comecei a dar valor aos momentos, às piadas, às confissões que me obrigam a vestir a boa amiga que sou e estender também o braço para apoiar aqueles que realmente precisam de mim. Aprendi a escutar, de maneira minuciosa, as gargalhadas que me fazem gargalhar; aprendi a observar os olhares sinceros e aprendi, acima de tudo, a aceitar as palavras bonitas que são ditas apenas para mim. Sei que se estiver nos dias negros, ninguém me julgará. Posso ser a chateada do dia, mas sei que existirá sempre uma ou duas pessoas que ousarão ultrapassar a linha que nos separa naquele momento e rodear-me com os seus braços, mesmo quando um espírito felino me incorpora e todo o meu corpo se retesa perante aquele toque de tecidos e peles. Sei que, embora esteja muito calada, respeitarão o meu silêncio e far-me-ão companhia naquele processo de introspeção. Também sei que, sendo eu todos os dias a pessoa que nasci para ser, terei sempre aqueles que preciso e quero do meu lado. E por isso, a fugir um pouco dos meus pensamentos, aqui estou para vos agradecer, amigos que são muito mais que isso, pelas pessoas que são e pela pessoa que fazem de mim.


3 comentários:

  1. Já tenho novo blog: fluffycotton2.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do teu texto!
    É tão bom termos amigos assim.
    O melhor grupo de amigos que já tive foi no secundário. Encontrei pessoas com quem me identifiquei a 100 %, e que gostaram de mim e me apoiaram incondicionalmente. Ainda hoje, mesmo agora na faculdade, continuo em contacto com eles :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é um dos meus desejos: continuar a ter contacto com os meus, mesmo seguindo caminhos diferentes.
      Obrigada Cherry! :D

      Eliminar