10 de fevereiro de 2016

Estes dias de chuva deixam-me com um humor extremamente  terrível. Fico preguiçosa, com a cabeça a andar à roda e sem grandes expectativas para o final do dia. As coisas que normalmente gosto de fazer parece que se esfumam do meu ser, derramando-se para fora dos meus pensamentos. Por muito que eu tente combater o poder exercido pela chuva, parece impossível. Sou uma pessoa do sol, do calor, da movimentação dos animais lá fora (embora entre em pânico sempre que um inseto decide visitar-me pela casa adentro). Gosto de andar pela casa sem sentir frio ou receio de apanhar uma constipação, gosto de pendurar os pés na secretária e bronzear a planta dos mesmos. Porém, ando a tentar fazer-me amiga deste ambiente cinzento. Talvez por cultivar a cada dia que passa o amor que sinto pelos livros, facilmente consigo relacionar a chuva com o conforto de estar aconchegada num canto luminoso da casa e afogar-me nas palavras... Ou mesmo aquecer-me com litros de chá, debaixo das mantas, enquanto atualizo uns quantos filmes ou séries. Ou, por via das dúvidas, escrever numa folha solta as sentenças que tão cedo não partilharia, ainda, com o mundo... Digamos apenas que estou a tentar moldar a minha natureza para algo mais diversificado. Agora é esperar que o dia de amanhã seja um pouco mais colorido e tentar fazer, ainda hoje, as tarefas que não posso deixar pendentes.


1 comentário:

  1. Adoro chuvinha! Mas eu passo muito tempo em casa. Deve ser por isso!
    Ouvi-la cair é música para os meus ouvidos. *.*
    Do frio, já não gosto tanto. Mas há sempre casaquinhos bonitos para compensar. :)
    Já o calor, não suporto. Reajo muito mal e ando enjoada todos os dias. Raramente, tenho saudades do Verão.
    Isto há mesmo pessoas para tudo. :)

    ResponderEliminar