domingo, 13 de novembro de 2016

Dicas de adaptação

Sei bem o quão desastrosa se pode tornar uma rotina quando esta sofre uma alteração de 195 graus, sendo que quase tudo a que estamos habituados vai para o espaço. Acontece que há quem consiga encontrar um outro eixo ao fim de dias, e outros que, apenas após um milénio, é que já se sentem realmente prontos para a vida. Como não poderia deixar de ser, considero-me parte destes dois mundos, levando a vantagem de me adaptar bem em qualquer situação, mesmo quando parece impossível. E o fator que me virou a vida foi exatamente a entrada na universidade. Se no secundário eram fáceis as rotinas, na faculdade já não é bem assim. A hora de nos levantarmos reduz-se em relação ao horário antigo, sendo que acordar às 5h é quase imperativo para alguns (ou só para mim, vai-se lá saber); o percurso que temos de realizar aumenta; a quantidade de trabalhos e projetos a desenvolver surgem no chão da nossa casa; e existem até momentos em que nos sentimos a sufocar com o pouco tempo com que ficamos para dedicarmos a nós mesmos.... Mas não se apoquentem, existe solução para tudo, e o segredo é sabermos encontrar quais se adaptam melhor a nós.

Com base nas minhas experiências de adaptação, a primeira coisa a se fazer, se não mesmo uma regra a seguir, é aceitarmos o facto de a nossa vida estar a mudar. Só dessa forma, é que poderemos carregar às costas os fardos com os quais ficarmos encarregues. De nada vale afundarmo-nos num mar de negação, angústias e revoltas só porque a vida está a mudar e rebolou pela rua fora. Abracem essa mudança e vivam-na a cem porcento para que, mais tarde, se sintam capazes de enumerar quais os pontos fulcrais da vossa vida que pretendam conservar no vosso dia a dia. Sim, passar horas nas redes sociais, em frente do computador ou televisão, apenas por puro prazer tem de acabar! Não de forma radical, mas tentem substituir estas atividades por outras mais produtivas. Não vos estou a aconselhar passarem dias inteiros a estudar ou a elaborarem projetos - embora seja isto o que acaba por acontecer -, apenas vos sugiro que priorizem as vossas responsabilidades, para só depois se divertirem. Há tempo para tudo, até para dormir! 
Falando em dormir, nunca, em algum momento, deixem de o fazer. Embora exista quem ache desnecessário este longo repouso, a verdade é que dormir é essencial para que nos sintamos cheios de coragem para enfrentarmos os dias que se seguem. Nunca vos aconteceu sentirem-se desmotivados, com vontade de baterem em tudo e em todos, rabugentos e fracassados? Pois bem, então parem e pensem bem na vossa vida, e vejamos se afinal não é falta de sono. Por muito impossível que seja vislumbrar noites de sono que ultrapassem as cinco horas diárias, eu sou testemunha de que é sim possível dormir cedo e cedo erguer enquanto estudante universitária. E tudo porque sei como me organizar em termos de trabalho diário, nunca deixando as coisas acumularem. Confesso que me ando a desleixar em certos aspetos, mas reconheço que quando quero, trabalho bastante bem e acabo por deixar tudo bem feitinho e sempre nos prazos requeridos. Embora não use uma agenda oficial e todos os dias, tive o cuidado de criar um #BulletJournal, no qual aponto todos os meses as datas e compromissos importantes no início de cada mês, acrescentando tasks sempre que acho necessário, datando sempre quando é que as devo fazer e quando é que as faço realmente. E não só de agendas se podem reger, apesar de ser a mais organizada. Sempre podem apontar numa folha solta os vossos compromissos, afixando-a na parede em frente do vosso local de trabalho, para que nunca deixem passar as vossas atividades.

Acreditem, apenas passados um mês ou dois, é que se sentirão capazes de fazer as coisas que gostam. Nesse caso, reflitam mesmo muito bem, e de forma consciente, nas atividades que vos dão realmente prazer fazer, nos tempos livres. Imaginem-se a fazê-las, recorram à vossa memória de quando se sentiam aborrecidos com um trabalho e tentem lembrar-se em que é que estavam a pensar naquele momento e que vos teria feito bastante bem na altura. Se a imaginação aterrou nos livros, nos filmes, nas séries, num desporto, então tentem converter esses desejos em coisas reais, e permitam-se respirar enquanto os realizam. Verão que as responsabilidades serão recebidas de sorriso no rosto e braços abertos, independentemente da trabalheira que vos dará. Permitam, também, que as circunstâncias à vossa volta se adaptem às vossas mudanças físicas, psicológicas e espaciais. Seja através de um item decorativo, do vosso quarto, ou mesmo do vosso estilo pessoal, não tenham medo de enfrentar esta nova fase. Como disse lá em cima, quanto mais depressa aceitarem a mudança, melhor e mais fácil se tornará o vosso quotidiano. E pequenas mudanças são de facto capazes de nos fazerem sentir em pessoas melhor resolvidas e aptas para os desafios. Adaptem-se à adaptação e tudo se tornará mais colorido.

3 comentários:

  1. as mudanças às vezes fazem-nos tão bem! :)

    ResponderEliminar
  2. Em termos Escolares/Universitários não tive problemas em adaptar-me aos horários. Como nunca foram iguais de ano para ano, não tive outro remédio se não habituar-me haha. O meu cérebro funciona muito melhor à noite, o que acaba por se tornar um problema para conseguir horas decentes de sono mas, felizmente, lá consegui safar-me! Sou um pouco comodista e geralmente custa-me a aceitar mudanças, mas de facto o importante é manter um espírito positivo e acreditar que tudo se resolve :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  3. Excelente post! Deste dicas muito boas, concordo com todas e faço-as a todas!
    Tens razão, o sono é extremamente importante e, enquanto estudante universitária, também consigo ter diariamente 7 a 8 horas de sono. Muitos estudantes sentem-se desmotivados e, tal como disseste, vão a ver e afinal é falta de sono.
    O primeiro passo para nos adaptar-mos a uma mudança é abraçá-la, concordo :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar