3 de janeiro de 2017

O meu dilema com filmes de terror

Na maior parte das vezes sou corajosa... Tirando os momentos em que entram insetos pela casa dentro, ou quando sonho que me encontro no meio do oceano sem saber nadar, sim, na maior parte. Como sabem, gosto de ler e um dos géneros que me desperta mais curiosidade é o de terror, apesar de ainda não ter lido algum dessa espécie... Ou então séries, sim!, como eu adoro séries que mexem com o psicológico das pessoas! É só a coisa mais brutal de sempre! Mas... Falemos agora dos filmes de terror. Sou grande fã, confesso, contudo, sou uma cagona. O primeiro filme de terror que assisti sozinha, a meio da noite, ainda em adolescente foi o The Ring. Vi-o do início ao fim e jurei para nunca mais. Desde então, faço-me sempre acompanhar de alguém menos cagão do que eu nas sessões de terror; ou por vezes basta-me a presença de alguém no mesmo compartimento do que eu para que me sinta protegida. É bastante engraçado esta relação que os humanos estabelecem com aquilo que os amedronta: tu podes querer tirar-me a alma, mas eu gosto de ti. Sinistro.

Agora a sério, gosto mesmo de filmes de terror. Embora não os possa ver sozinha - isto porque senão o bilhete da insónia está garantido -, gosto mesmo deles. Existe qualquer coisa neste assunto do horror que me encanta, talvez pela adrenalina que o meu corpo produz ou pela necessidade de me refugiar do mundo real... Ou então para alimentar a consciência de que eu não sou assim tão idiota em comparação com aquelas personagens que entre uma porta aberta para a rua e a escadaria que leva ao sótão, elas preferem encurralar-se ainda mais. Incrivelmente estúpido! Por falar em filmes, aquilo que me encanta ainda mais são as animações de terror... E não, não as normais, mas as que se denominam de animes, ou seja, dos japoneses. Basta uma nuvem escurecer lá fora para instantaneamente o bichinho amedrontado mas que gosta do terror aparecer. Bate qualquer coisa aqui no coração e logo começo a montar cenários sinistros, ruas desertas, o som dos passos pelo solo molhado... De facto, tenho uma imaginação bastante fértil... E perigosa. Perigosa porque por muito que magique coisas, eu nunca ganho a coragem para me sentar, ligar o computador e embrenhar-me nos filmes de terror... E é todo um ciclo vestido de loucura que se instala em mim, clamando pelo desejo de ultrapassar este medo disfarçado de sei lá o quê... Talvez um dia faça uma sessão merecedora da minha atenção... Talvez um dia perca este receio de perder o sono, porque vejamos, eu gosto mesmo de dormir... Talvez um dia eu possa gritar para os sete ventos que deixei de ser cagona... Mas apenas com uma condição: os filmes têm de ser vistos de dia!

1 comentário:

  1. Simplesmente não consigo ver filmes de terror. Fico cheia de medo e sou como dizes uma autêntica cagona e depois não consigo dormir. Admiro muito quem consegue ver, mesmo!

    ResponderEliminar