5 de abril de 2017

MARÇO #RRSP17 \\ "Uma Escolha Por Amor"

Fiz um trato com a Sofia, onde dizia que ela só voltava a reler ou publicar acerca das sua releituras a partir do momento em que eu cumprisse com a minha parte no projeto. Isto foi em finais de Fevereiro, e logo no mês a seguir, decidi-me por um livro que, naquele momento, me pareceu o mais adequado por servir na perfeição ao carácter de leitura rápida. Aquilo que julguei que poderia ter levado uma semana, levou-me exatamente um mês, e aqui estou, finalmente, para vos relatar uma nova experiência no que toca às releituras da minha vida. Para início de conversa, tenho a dizer-vos que o primeiro autor que considerei a sério para a minha carreira de leitora foi o Nicholas Sparks. Nada me convence tão bem quanto a lembrança dos primeiros dois livros que a minha mãe me ofereceu num dos meus aniversários, e que aí deram início àquela que, hoje em dia, é a minha biblioteca pessoal. Recordo-me de os ter lido em poucas semanas, de ter adorado, e de ter adquirido mais duas obras do mesmo autor, repetindo a dose de leituras. Mas aí os livros foram chegando, a maturidade foi mudando e as minhas exigências passaram a ser outras. Desta vez, um pouco mais crescida, quis provar a mim mesma o que é que eu encarava de tão fascinante na escrita de Sparks e ver se, atualmente, concordaria com a esmagadora opinião de que Sparks não é assim tão bem recebido pela sociedade.

"Uma Escolha Por Amor" faz-nos questionar até que ponto somos capazes de ir em nome do amor; até que ponto podemos chegar de modo a aceitarmos, ou não, os pedidos dos nossos amados, numa situação crítica, e de que maneira é que isso se reflete em nós. Embora tenha de concordar que hoje em dia os livros de Sparks não funcionem para mim, muito em parte devido à temática romântica, não posso negar que passei um bom bocado. Foi bom, e fez-me igualmente bem, reler passagens que no momento me transportavam para outros cenários e me iluminavam para o facto de aquele não ser o meu primeiro contacto com o livro; para não falar de que ultimamente tanto as músicas quanto os filmes e os livros têm vindo a assentar que nem luvas, equiparados com as situações que tenho vindo a viver. Identifiquei muitos erros de revisão, muito provavelmente por distração, e desconfio de que a tradução talvez não tenha sido das melhores. Tenho vindo a ter conhecimento de pessoas que, se não fossem pelas traduções, as suas opiniões acerca de determinado livro seriam diferentes. Para além destes erros de estrutura, confesso que não me consegui identificar com as personagens principais, apenas em pequena percentagem com a irmã de um deles, e tudo porque no meu ponto de vista falta o aprofundamento das mesmas. As motivações que as levam a agir de tal maneira, o instalove que por vezes - e se não mesmo em todas as situações -, tornam a leitura um bocado aborrecida, certas passagens que poderiam ter sido substituídas por outras, e por aí vai.

Com tudo isto, não quero dizer que ache, atualmente, que Nicholas Sparks seja um mau escritor, muito pelo contrário. O facto dele pegar em situações super banais, romantizá-las com algum jeitinho, e conseguir capturar a atenção de muita gente, isso é admirável. Ao longa da leitura, fui constatando que dos quatros livros que já li da sua autoria, todos têm como base o mesmo assunto, moderando apenas certos detalhes que conferem a cada história a sua determinada essência. Após esta releitura, aliás, fiquei super motivada para pegar naquele que considero ser, até agora, um dos seus melhores livros, Um Refúgio Para a Vida, e que tal como a maioria, também teve direito a uma adaptação cinematográfica. 

Em suma, e sem me querer alongar em detalhes que em nada acrescentarão a esta review, tenho também a dizer que este livro provou-me aquilo que eu queria, desde o momento em que pensei neste projeto: retirar novas lições, constatar se de facto mudámos a nossa maneira de encarar o mundo e provarmos a nós mesmos que as mudanças, a evolução e o nosso leque de escolhas, estarão sempre suscetíveis a serem diferentes, ano após ano! Para quem procura por algo leve, rápido, de certo modo fofo e uma forma de passar o tempo, penso que seja uma boa recomendação!


Esta publicação insere-se no projeto do #RRSP17. Para saberes o que anda a Sofia a reler, clica AQUI!
Tinham conhecimento deste livro? São, ou não, fãs de Nicholas Sparks? 

4 comentários:

  1. Tenho esse livro a olhar para mim todos os dias e ainda não o li. Ofereceram-me num aniversário qualquer e eu tenho deixado passar o tempo. Agora fiquei com vontade de o ler >.<
    www.letsdonothingtoday.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força nisso, Vanessa! :D Depois quero saber o que achaste! :P

      Eliminar
  2. Já li alguns livros do Nicholas mas ainda nenhum me conquistou. Talvez ande a escolher mal :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poderá ser uma possibilidade, mas existem situações em que certos autores simplesmente não funcionem! Mas lá está, nada como continuar a procurar por algo que resulte! ^^

      Eliminar