6 de junho de 2017

Ideias e dicas para uma festa ou almoçarada

Adoro organizar festas e almoçaradas! O que mais me estimula no meio disto tudo é a pré-concepção mental que faço, as fases de organização e as mãos à obra. Desde que me lembro, que sou quase sempre eu que tenho a iniciativa de festejar os meus anos, ou mesmo de juntar as pessoas à mesa, seja porque motivo for. Para ser sincera, não sou apologista de que deva existir grandes motivos para que os amigos se unam de vez em quando e se atualizem, conversem, etc.. Lembrei-me de vos trazer esta publicação, quando disse à Joana o que iria fazer para a celebração dos meus dezanove, tendo ela gostado da ideia. Como tal, aqui estou para tentar iluminar mais umas quantas cabecinhas!


A primeira coisa que tenho em conta são as pessoas que quero perto de mim, seja em que evento for e que seja eu a organizar. Sejam dez ou trinta, a partir do momento em que tenho os convites feitos, elaboro uma lista com a ementa que poderá agradar a todos, de modo a que ninguém se sinta excluído. Para além de me sentir desafiada, não deixa de ser uma forma bastante saudável de dar a conhecer novos sabores e texturas aos meus, abrindo-lhes os horizontes. Ementa feita, e como nunca falharam para comigo, não tenho medo de pedir contribuições. Este ritual deu-se quando, ao organizar a festa dos quinze, muitos dos meus amigos se disponibilizaram para me ajudar com as contas, não obstante a festa ser minha, e desde então que aviso aos convidados de que se puderem, que tragam o que lhes parecer por bem trazer, seja em forma de comida, bebida, ou dinheiro para que eu mesma compre e faça. Com o tempo, fui-me apercebendo de que desta forma, o evento torna-se bem mais organizado e interativo!

Definam um orçamento, principalmente no que toca à ementa. Como já disse mais acima, podem conversar com os vossos convidados e fazerem uma contribuição, no entanto, não esperem que todos estejam dispostos a cumprir com a promessa. Há muitas boas pessoas que dizem "Sim, vou-te ajudar!", mas depois quando chega o momento, dão as costas e só aparecem para comer. Deste modo, optem pelas bebidas e comidas mais simples, baratas, mas ainda assim, saborosas e do agrado de todos. A par com o orçamento, aproveitem para dar um olho nos descontos semanais, nos supermercados, pois dão imenso jeito!

A maior dica que vos posso dar é para se divertirem! Não há sentimento maior do que o da realização, aquele orgulho de termos sido nós a ir atrás do acontecimento, portanto, sem vontade para tal, as coisas não andam para a frente. Com forças para seguir, a escolha do local é muito importante. Tenham em conta de onde vêm os vossos convidados, se o local fica perto dos transportes, se há a possibilidade de eles dormitarem na vossa casa para que, no dia seguinte, regressem aos seus aposentos. Este será o terceiro ano consecutivo em que farei da festa um piquenique, num parque amplo e cheio de cor, onde teremos a oportunidade de jogar basquet ou futebol, de acordo com as vontades do povo. Se tiverem a disponibilidade, podem também alugar um salão, ou optar pela vossa casa, caso tenham espaço para albergar toda a gente. Visto que comigo é habitual ser muita gente mesmo, os meus pais e eu escolhemos sempre um espaço onde as pessoas se poderão sentir à vontade e, no entanto, sem existir muita dispersão.

Para além do local, o dia pode ser crucial. Houve e há anos em que eu e os meus primos juntamos as festas, puxando-as para a data da minha prima - que, neste caso, é a última de Junho -, mas há momentos em que é inevitável festejarmos no próprio dia. Tenho a sorte de fazer anos num feriado, logo, é geralmente bem mais fácil para convidar as pessoas, e quando a data calha numa sexta, perfeito! Desta vez calha num sábado, o que não é mau de todo, contudo, questiono sempre se dá jeito para a maior parte dos convidados, tendo em conta que quando é para acontecer, acontece em grande! Estas pequenas dicas também servem para eventos mais pequenos, basta que nos saibamos organizar devidamente e no tempo certo. Por muito louco, prefiro começar a avisar com um mês de antecedência, do que ter de fazê-lo a uma semana do acontecimento. Para além de amenizar o meu pânico, já tenho muitos anos disto. 

Agora devem-se estar a perguntar, "Então e a decoração, Lyne?". Para ser honesta, não é algo a que ligue muito. Um toque aqui e ali, uma mesa bem arrumada e uma ótima comunicação torna tudo mais bonito e apetitoso do que propriamente uma sala toda colorida e iluminada e muitíssimo barulho. O lema é, quanto mais simples, melhor!

Para além destas, têm mais alguma dica que desejam partilhar? Sintam-se à vontade para tal!

2 comentários:

  1. Não sou de fazer grandes festas (quase nem o meu aniversário festejo) mas gostei das tuas dicas!

    ResponderEliminar
  2. LINDO! Se tivesse começado a planear as coisas com mais tempo, seria isto que fazia. Que ideia genial, como todas as tuas, maior parte das vezes. És mesmo doce, Lyne. Até a preparar festas de forma a que ninguém se sinta de parte. Bestial!

    ResponderEliminar