segunda-feira, 3 de julho de 2017

BOOK review \\ "Lolita", Vladimir Nabokov

Sei, por norma, que quando um livro leva-me mais do que um mês a digerir, é porque a sua mensagem é muito pesada. Julguei que seria capaz de despachar este livro em duas semanas, afinal, há muito que o queria explorar devido à sua temática, contudo, ele acabou por me provar outra coisa: que por muito que queiramos acelerar uma leitura, esta por vezes nos obriga a adotar outros métodos, outras formas de estar e interpretar. 

Nabokov

"Lolita". Será que existe por aqui alguém que não tenha uma pequena ideia do que se trata esta obra? Se não, pouco vos direi acerca da narrativa: neste livro, temos o ponto de vista de um pedófilo, no tempo em que ele ganhara uma enorme paixão pela sua enteada, a denominada de Lolita. Tudo o resto, todas as questões que possam vir a ter, agora só poderão ser respondidas se decidirem abraçar esta leitura e aguardar que a mesma vos elucide.

Este é um livro denso, pesado, caracterizado por uma escrita trabalhada. O narrador é bastante detalhista, não se focando na utilização de palavreado simples, buscando, também, expressões mais ricas e que conferem ao seu texto a paixão que ele nutre pelo que produz. Não sei se foi de mim, mas fiquei com a impressão de que esta não é uma leitura rápida, embora a partir de um certo ponto, se torne fluída. Os cenários, tendo como pano de fundo os EUA, as personagens e toda a linguística são fantásticos, para mais que, também a temporalidade, está muito bem elaborada.

A mensagem que Nabokov nos quer passar, do meu ponto de vista, é a de que devemos ter cuidado com as nossas crianças, sejamos nós o que formos dela. Nem todas as pessoas que nos apertam a mão de sorriso no rosto são boas pessoas; as aparências iludem e de que maneira! Por outro lado, este livro elucida-nos para o facto de que nem todas as crianças são inocentes, pelo que mesmo sabendo de que estão a sofrer de um abuso, elas aproveitam-se disso para seu bel-prazer, e ainda se aproveitam para adquirir o que bem entenderem. Nem sempre a palavra "infância" vem anexada ao termo "inocência". Apesar de "Lolita" conter um peso bastante elevado para certas mentes, não deixa de ser uma obra que devemos ler, talvez pousar de vez em quando, mastigar a informação mais recente, refletir e, só depois de uma urgência nos palpitar no interior, dar-lhe continuidade. Garanto-vos, desta forma, ser-vos-á menos cansativo!

Conheciam este livro? Já o leram? O que acharam?

4 comentários:

  1. Acho que toda a gente já ouviu falar do livro! Tenho muita curiosidade, por acaso!

    ResponderEliminar
  2. Awww, muito, muito obrigado. Mesmo :') Tão feliz por ler esse comentário. Fico sempre de coração cheio!

    Conhecia o livro, sim, mas nunca o cheguei a ler. No secundário alguns amigos meus andavam a ler e tinha a mesma opinião que tu. Para ser sincero sempre me suscitou alguma curiosidade precisamente por ser um livro tão detalhado. Acaba por ser algo que prezo quando leio algum livro. Como se lá estivesse, entendes?! Neste caso não sei se me adaptaria muito bem face ao tema abordado.

    Ótima review, como sempre :D

    NEW OUTFIT POST | SUNKISSED AND GOOD CHANGES.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  3. Já ouvi falar tanto desse livro ( na verdade, toda a gente já ouviu falar, já deve ser considerado um clássico). Tenho mesmo curiosidade para lê-lo!
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  4. Eu comecei a ler mas não consegui terminar. Lá está, é tão detalhado que achei aborrecido. Sem falar do pormenor da "adoração" pela Lolita que me arrepiou um bocado. xD

    Beijinhos!

    ResponderEliminar